Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

© busy as a bee on a rainy day

e se, de repente, o respondemos a um how are you e só nós pescámos a piada (as abelhas não voam quando chove) e vêmos que é um título fantástico para um blogue! pois.. cá estou então!

© busy as a bee on a rainy day

21
Jun22

donate me a virtual honey pot ;)

Ana de Deus

buymeacoffee.com

buy me a coffee presents itself as an alternative to patreon, which I've also tried, and I have to add that in fact buy me a coffee is much better. much better indeed! it gives us more creative freedom and is more accessible. for example, I ask for Honey Pots!

I also had a fiverr account and you can be sure that the buy me a coffee is a breath of fresh air, allowing us to walk at our own pace. I highly recommend this innovative site. it's much easier to create a page and gives us the chance to customize just about everything!

I became a fan! and advise it to raise funds for anything. it is possible to set a fundraising goal and/or create monthly subscriptions. I definitely recommend it as a much more welcoming alternative. it is worth saving the address of this site.

@estudosdanath

 

 

 

o buy me a coffee apresenta-se como uma alternativa ao patreon, que também já experimentei, e devo acrescentar que de facto buy me a coffee é muito melhor. muito melhor mesmo! dá-nos mais liberdade criativa e é mais acessível. por exemplo, eu peço Potes de Mel!

também tive uma conta no fiverr e podem ter a certeza que buy me a coffee é uma lufada de ar fresco, permitindo que caminhemos ao nosso ritmo. recomendo este site inovador. é muito mais fácil criar uma página e dá-nos a hipótese de personalizar praticamente tudo!

fiquei fã! e aconselho-o para angariar fundos para tudo. é possível definir um objectivo e/ou criar assinaturas mensais. definitivamente recomendo-o como uma alternativa muito mais acolhedora. vale a pena guardar o endereço deste site.

15
Jun22

O Fim Dos Infinitos

Ana de Deus

era uma vez.. um homem que vive o mesmo dia há infinitos. acorda às seis da manhã. toma um duche de água fria. vê o nascer do sol enquanto prepara o pequeno-almoço. café com gelo e um pão de abóbora e nozes com queijo. senta-se à secretária para ler as notícias no computador. sempre as mesmas. abre o sítio da Antena 2 e deixa a música a tocar.

de seguida, escreve numa página em branco, tudo o que lhe vem à cabeça. é um brainstorming solitário, onde nascem personagens e enredos. às oito entra em sintonia com as personagens e dá-lhes voz. escreve até à uma da tarde, quando lhe vêm trazer o almoço, do seu restaurante predilecto. mas já não lhe dá prazer, pois repete-se há infinitos.

ele é o observador da vida que passa. a única coisa que parece ser capaz de alterar é o enredo das suas histórias. já tentou partir de carro, de bicicleta, a pé. acorda sempre no seu quarto, naquela casa. após o almoço vai dar uma volta pela cidade, para arejar as ideias. aprendeu a ser bem-educado com os arrumadores que lhe vêm pedir um cigarro.

houve um período em que perdia a paciência. gritava: eu não fumo! zangado com a repetição do dia. calma, irmão! diziam os jovens, deixando-o em paz. perguntava-se se o dia deles também se repete. até que um dia o entregador do almoço lhe perguntou se não estava cansado daquele menu! estupefacto, respondeu que sim. então porque não muda?

e o fim dos infinitos aconteceu.

01
Jun22

Feliz Dia Mundial das Crianças de Todas as Idades

Ana de Deus

@beautybyearth

como a explosão duma supernova ou a eclosão de uma semente, toda a gente nasce criança.

 

“Infância”

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.
Minha mãe ficava sentada cosendo.
Meu irmão pequeno dormia.
Eu sozinho menino entre mangueiras
lia a história de Robinson Crusoé,
comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu
a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu
chamava para o café.
Café preto que nem a preta velha
café gostoso
café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo
olhando para mim:
– Psiu… Não acorde o menino.
Para o berço onde pousou um mosquito.
E dava um suspiro… que fundo!

Lá longe meu pai campeava
no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que minha história
era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

por Carlos Drummond de Andrade

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim

foto do autor

arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

os nossos contos

os nossos contos de natal Sagração do Dia