Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

© busy as a bee on a rainy day

e se, de repente, o respondemos a um how are you e só nós pescámos a piada (as abelhas não voam quando chove) e vêmos que é um título fantástico para um blogue! pois.. cá estou então!

30
Jul21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 7

Ana de Deus

desafio dos pássaros

 

quando Francisca voltou para o terraço a amamentar Mariana, perguntou aos bisavós se eram capazes de identificar essa assistente a um agente da polícia judiciária. eles disseram que sim, pois confiavam mais na neta do que numa notícia online. no dia seguinte, a jovem apareceu no centro de dia para os avós puderem apresentar a bisneta aos amigos e indicar com o olhar quem era a assistente em causa. o anão Pedro era da judiciária e, com toda a sua equipa, entrou no centro de dia com um mandato para revistar tudo. Francisca confirmou quem era a assistente e eles levaram-na para interrogatório. esta nunca soube quem a tinha denunciado. os avós compreenderam-no e deixaram de ter medo. Mariana ria com as palhaçadas dos adultos e alegrou o dia a todos.

após deixarem a filha com as comadres, Francisca e David reuniram-se com Pedro e Vânia na esplanada da Mexicana, na Praça de Londres. enquanto não eram servidos mantiveram sempre as máscaras de protecção contra o coronavírus. numa mesa atrás a conversa azedava entre um negacionista, um padre e Gustavo Santos. só o padre tinha máscara. o negacionista, defendia que era tudo uma cabala das grandes farmacêuticas para venderem vacinas placebo. o padre, que já tinha realizado muitos funerais, defendia que era o Senhor a lembrar-nos o quanto a vida é preciosa. Gustavo Santos, defendia que com o poder da mente ninguém adoece e os doentes podem curar-se. o negacionista dizia que ninguém adoece pois a Covid-19 é uma ilusão.

o padre, aflito perante a blasfémia, dizia que só o Senhor escolhe quem vive e quem morre. já a perder a compostura o pároco perguntou ao negacionista como é que podia acreditar que a pandemia era uma cabala, quando o próprio presidente do movimento morreu com o coronavírus! noutras mesas começaram a opinar sobre qual deles tinha razão e aí Francisca levantou-se e convidou Pedro e Vânia para conversarem em casa dela e de David. outras mesas seguiram-lhe o exemplo e só ficaram na esplanada os acesos interlocutores e os apoiantes dos três pontos de vista. o gerente da pastelaria teve de chamar a polícia para os expulsar dali. os negacionistas desrespeitaram as regras de segurança e foram presos.

a paz da caminhada inspirou Pedro para os convidar a meio do passeio para o seu casamento com Vânia. a cerimónia seria a meio da tarde ao ar livre, mas era obrigatório apresentarem os testes negativos. o que tinham de fazer naquele dia e quatorze dias depois, no dia da festa. os convites eram duas caixas branco pérola com os testes lá dentro, os amigos abraçaram-nos. os noivos retribuiram e despediram-se pois ainda tinham caixas por entregar. Mariana dormiu durante a sagração do matrimónio. os amigos das danças de salão estava em peso, do lado do noivo. do lado da noiva havia menos músculos do que David antecipara. o casamento do anão Pedro com a culturista Vânia foi um dos mais felizes de sempre. a alegria dos noivos era contagiante.

 

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: um negacionista, um padre e o Gustavo Santos entram num bar...
PARTICIPANTES 3.0 - AQUI

(continuação)
(capítulo 1)

16
Jul21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 6

Ana de Deus

@chloeting


três anos mais tarde as duas famílias ficaram ainda mais unidas com a gravidez do jovem casal. no último trimestre a futura mamã teve de ficar de repouso em casa. as comadres e os compadres revezavam-se, cuidando dela durante o dia. a grávida passava a maior parte do tempo a dormir. há três anos que participavam na meia-maratona, felizmente os filhos também tinham um ginásio em casa, com bicicleta e tapete de corrida. no quarto do casal tinham um monitor, o outro andava sempre com os pais ou com as mães, para o caso de Francisca precisar de alguma coisa.

finalmente, a seis de novembro nasceu a Mariana que a todos encantou. agora os bisavós vinham almoçar todos os domingos. Francisca estava feliz por o yoga que tinha praticado até ao sexto mês ter contribuido muito para o parto e prevenido perda de massa muscular. tanto ela como David queriam participar com a filha, aconchegada numa bolsa marsupial, na meia-maratona do ano seguinte. já era uma tradição familiar, um pretexto para os avós se manterem em forma. estavam tão bem que, às vezes, em vez de aulas, faziam múltiplos polichinelos com destreza.

quando alguém perguntava a Francisca ou a David o que era mais difícil no dia a dia, ambos respondiam: ter de ouvir a Xana Toc Toc. houve um domingo em que os bisavós estavam muito perturbados e ninguém lhes conseguia arrancar o que os afligia tanto. então o bisavô mais velho disse: se almoçarmos no terraço, podemos falar. há coisas que não devem ser ditas dentro de casa. as comadres tomaram logo a iniciativa. David ligou os dois aquecedores a gás de exterior pois o ar estava fresco felizmente sem previsão de chuva.

enquanto estavam todos sentados à mesa, já a refeição terminada, os bisavós começaram a contar-lhes o que lhes tinham dito: Bill Gates era um fantoche dos chefões da indútria alimentar e nos seus filmes há publicidade subliminar que o nosso subconsciente capta logo. os avós perguntaram quem era essa pessoa e o que é que ela queria com essa história. os bisavós acabrunharam, nenhum queria confessar. assustados, pois lhes tinha sido dito que agora até as paredes ouvem o que dizemos e que os chefões da indústria alimentar sabem tudo.

começaram por falar sobre as notícias na internet que expunham tudo e que confirmavam que eram factos verdadeiros. lá confessaram que era uma das assistentes do centro de dia. e porque é que ela vos contou isso? indagou a família preocupada. o bisavô mais velho explicou com a segurança de quem acredita: ela vende uns óculos especiais para vermos televisão e estarmos imunes às mensagens subliminares. quanto é que custam esses óculos? perguntou David, chegando ao cerne da questão.

dois mil euros, sussurrou o bisavô. o quê!!? gritaram os compadres. vocês compraram? não, ainda não. Francisca levantou-se para ir buscar Mariana, que já choramingava com fome, e entrou em casa dizendo: nem ainda não, nem nunca. nada disso é verdade.

 

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: uma teoria da conspiração envolvendo Bill Gates, indústria alimentar, Xana Toc Toc e polichinelos. 

(continua)

02
Jul21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 5

Ana de Deus

desafio dos pássaros - tema cinco


eram a primeira marcação daquele domingo e Francisca estava disposta a escolher algo bem radical. quando revelou às mães o que pretendia elas adoraram. David é que sentiu mais a diferença pois namorara e casara com uma mulher de cabelo comprido e hoje era uma surpresa. enquanto a jovem era maquilhada, a cabeleireira conseguiu tratar do cabelo das três. chegadas a casa, Francisca chamou o marido, que teve um momento de espanto e logo de seguida disse: adoro! cada dia estás mais bonita.

o que é que estão a pensar fazer esta tarde? perguntaram as mães. o jovem casal respondeu: vamos às danças de salão antes que o corpo perca o hábito. hoje o baile é aberto à comunidade, venham connosco. os compadres estavam no campo de golfe mas aceitaram logo quando as comadres lhes ligaram a desafiá-los. decidiram encontrar-se à frente da Fonte Luminosa a seguir ao almoço. Francisca escolheu um vestido estilo anos cinquenta em azul clarinho. realçava a maquilhagem e o cabelo.

David levava calças de fato, sapatos de cerimónia e camisa branca com as mangas dobradas. os dias estavam quentes. os pais quando os viram quiseram logo tirar fotografias. os pais da noiva e em seguida os pais do noivo. um vizinho do casal andava a passear o cão e ofereceu-se para fotografar os seis, centrados com a fonte luminosa. as comadres vestiram o vestido que tinham levado ao casamento e, constataram, ambas estavam mais magras. Francisca e David sorriram de orgulho.

quando chegaram o baile estava prestes a começar. aguardavam o maestro. foram cumprimentando os colegas das aulas e os casais habituais aos domingos. todos comentavam que o amigo Pedro conseguira finalmente um par. o anão Pedro, com um metro e quarenta de altura, e a culturista Vânia, com um metro e sessenta de altura, faziam furor. estavam vestidos a rigor e em parceria. Francisca correu para o abraçar. era um verdadeiro cavalheiro com quem dava prazer conversar. todos na escola de dança o admiravam.

Vânia era uma mulher independente. só fazia o que queria. sempre quisera ser culturista, apesar de ninguém na família a apoiar, ela confiava na sua capacidade de concretizar os seus sonhos. há dois meses que trocavam correspondência. conheceram-se no Tinder. eram ambos pessoas honestas e, na sua apresentação, Pedro tinha publicado a sua altura, o que a cativara ao ponto de lhe pedir amizade. ele revelara-lhe que era louco por danças de salão e ela acrescentou que nunca praticara por não ter par.

sem perder tempo, o amigo convidou-a, pois também ele não tinha um par fixo. tinham muitas sincronias e ambos estavam curiosos como seria a sua química. Vânia trazia sapatos rasos, para conforto pessoal. Pedro disse-lhe para ela calçar o que quisesse, que não o perturbava, ela agradeceu e retorquiu que então teria de ir de ténis mas estragaria o formalismo do vestido. logo que se viram, o cupido lançou a flecha. no salão de baile só tinham olhos um para o outro e a química era evidente.

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: um encontro entre um anão e uma bodybuilder, marcado por ele, através do tinder.

(continua)

18
Jun21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 4

Ana de Deus

desafio dos pássaros - tema quatro


quando os maridos saíam para o golfe, as mães vestiam um fato de treino, apanhavam o metro e faziam uma hora de caminhada rápida na Quinta das Conchas, ainda mal conseguiam correr mas era esse o objectivo. queriam participar na meia maratona que há todos os anos em Março. contrataram um personal trainer para as orientar três vezes por semana. davam imenso apoio uma à outra e isso fazia toda a diferença.

quando estavam mais caseiras, faziam uma aula online de cardiofitness, seguida por alongamentos. dividiam a mensalidade, pelo que optaram pelo pacote completo. um dia os compadres confessaram que gostariam que elas aprendessem a jogar golfe, para quando fossem de férias para algum resort. e as comadres confessaram que gostariam que eles treinassem marcha e corrida, para participarem os quatro na meia maratona.

dividiram os dias pela Quinta das Conchas de manhã e golfe de tarde. e quando lhes apetecia começar o dia no campo de golfe, faziam aulas online de cardiofitness de tarde. estavam tão orgulhosos uns dos outros. transformaram o quarto dos filhos em ginásios caseiros. voltaram a namorar a dois e quando descobriam restaurantes com pratos vegetarianos saborosos, convidavam-se a jantar fora os quatro. 

agora os seus meninos estavam por perto e podiam voltar a abraçá-los. tinham tanta coisa boa para lhes contar. já conseguiam correr tropegamente, mas era uma conquista. tinham de desentorpecer as articulações. sempre tinham sido meio sedentários, tirando os passeios higiénicos e as caminhadas à beira-mar. tinham vivido para os filhos. agora estavam a aprender a cuidar de si próprios. o jovem casal ficou comovido ao ouvir as novidades.

os avós adoraram a penthouse e o terraço enorme, onde se deliciaram no jantar de inauguração cozinhado pelos netos. o jovem casal provou-lhes que uma refeição vegetariana bem confeccionada é tão saborosa quanto uma boa receita das avós. na verdade, eles escolheram uma das receitas de família, só alteraram alguns ingredientes e adicionaram mais vegetais. caramba, quase que conseguiam convencer-nos que era carne!

a mãe não parava de olhar para o cabelo de Francisca, sem se conter mais perguntou: fizeste alguma coisa diferente ao cabelo? David desatou a rir, a jovem olhou para o marido e disse: não tem piada! fiquei com uma parte do cabelo preso no fecho do nécessaire e, por mais que o tentássemos abrir, estava a doer-me horrores, então tirei a tesoura do saco e cortei o meu rico cabelo. fez sangue? perguntou a avó com um ar assustado. felizmente não, vovó.

estás a pensar em ir acertar ao cabeleireiro? perguntou a mãe. nós temos marcações para amanhã, dou-te a vez se quiseres, como recomeças a trabalhar na segunda-feira, depois deve ser mais complicado de encaixar uma hora. Francisca levantou-se e abraçou a mãe e a sogra. vocês são uns amores. aceito! não levam as avós? perguntou David. estas responderam que se cansavam muito nos salões, tinham cabeleireira ao domicílio e adoravam.

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO:
premissa de orientação: caramba, quase que conseguia!
desenvolvam a ideia, utilizando no texto as palavras preso, sangue, saco e tesoura.

(continua)

04
Jun21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 3

Ana de Deus

o desafio dos pássaros - tema três

Francisca contratou uma empresa para limpar a casa e só depois começou a telefonar para as lojas onde já tinham comprado a mobília. ligou, pausadamente, para terem tempo de decidir como haviam de dispôr cada coisa. a primeira divisão a mobilar foi o quarto do casal. os pais apareciam com almoços vegetarianos caseiros, para matar saudades e acompanharem a transformação da casa.

um dia encontraram os pombinhos desavindos e insistiram em saber porquê. depois de muito suplicarem, Francisca cedeu e disse entre lágrimas: o David vinha a carregar o monitor do computador. o pré-histórico? perguntou a mãe a tentar não rir. de repente, sua excelência o meu marido afirmou: não aguento mais contigo! - enquanto o atirava para longe, no descampado perto de vossa casa mamã.

amor, implorou David, ainda hoje vai chegar uma surpresa que vais adorar. o que é que pode ser melhor que uma memória tangível da minha adolescência!? gritou Francisca. como resposta, batem à porta para entregar um iMac 24'' da nova geração. agora, estou perdoado!? indagou o marido. não aguento mais contigo! exclama a jovem, e acrescenta: anda cá seu parvo, cobrindo-o de beijos.

numa semana a penthouse ficou pronta. estava tudo a decorrer como os dois jovens tinham planeado. a segunda semana era para uma pequena lua-de-mel num hotel em Sintra. prometeram aos pais que no último sábado faziam a inauguração da casa com um jantar só com eles e os avós. tinham escolhido aquele hotel pois a suite da lua-de-mel inclui uma piscina.

David surpreendeu o seu amor com refeições entregues pela catering preferida de ambos, com quem o hotel trabalhava. não tencionavam sair do quarto durante aqueles sete dias, de domingo a sábado. tinham saudades um do outro. com disponibilidade total. ambos eram filhos únicos pelo que, em Lisboa, os pais estavam a viver a sensação de ninho vazio. as mães passavam horas ao telefone.

os compadres decidiram começar a jogar golfe em parceria. era sagrado, todos os dias de manhã. as mães tiveram então a ideia de se juntarem os quatro para almoçar. uma semana na casa de uns e na outra semana na casa dos outros. todas as manhãs, uma das mulheres levava o marido a casa da comadre, e os compadres seguiam para os campos verdejantes do golfe.

estavam a habituar-se a esta nova rotina com facilidade. os filhos iam ficar orgulhosos quando soubessem como em apenas uma semana os progenitores se tornaram amigos inseparáveis. na sexta-feira decidiram experimentar a tal catering vegetariana que os filhos tinham contratado para o casamento. optaram por um buffet para quatro pessoas, ficaram encantados! e felizes: no dia seguinte podiam voltar a abraçar os seus meninos.

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: não aguento mais contigo! - afirmou, enquanto o atirava para longe. desta vez, a frase deve fazer parte da composição.

(continua)

21
Mai21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 2

Ana de Deus

o desafio dos pássaros - tema dois


o vestido de Francisca, quando entrou de braço dado com o pai, no caminho de pétalas que a levava até David, deu origem ao tititi que tirava as avós do sério. cada uma na sua ala, do noivo e da noiva, viraram-se para trás e tossiram um: caaaladaaass! passou a só se ouvir a marcha nupcial e os passarinhos.

os noivos estavam felizes e muito bem-dispostos. tinham convencido os pais e os avós todos a aprender a dançar o tango. a química entre os jovens tinha deixado as avós orgulhosas. ensaiaram em família durante a última semana antes da boda. Francisca e David tinham os corpos perfeitos de bailarinos profissionais.

sabendo o porquê da racha do vestido as avós sentiam-se vaidosas por terem sido incluídas no segredo e por se sentirem capazes de também fazer boa figura. o baile acabou por ser um sucesso. o casamento foi recordado durante muito tempo, e serviu de referência para os que lhe seguiram.

de volta à cidade os recém-casados revelaram que estavam a comprar uma casa há alguns meses, apesar de terem continuado a viver com os pais. eram um primor de filhos, diziam as avós. combinaram encontrar-se à saída do metro da Alameda, as obras de remodelação da casa tinham acabado, precisava de ser limpa e, finalmente, mobilada.

os avós tinham vindo de taxi, que já não tinham idade para descer e subir tanta escadaria. Francisca deu indicação ao motorista para os deixar na esplanada da gelataria na Guerra Junqueiro. os pais não queriam crer, desde criança que a filha dizia que um dia teria dinheiro para viver naquela rua que tanto a encantava.

David só queria viver com ela, era-lhe indiferente onde, mas não resistiu ao entusiasmo da sua amada. estavam ambos felizes com a escolha e o resultado. os avós tinham se sentado na esplanada a saborear um gelado. vêem! exclamou a jovem, mesmo quem não nos encontrar em casa pode deliciar-se nesta esplanada.

tinham comprado a penthouse num prédio com três andares, sem elevador. os avós suspiraram para ganhar alento. quando finalmente entraram na casa dos netos, já eles tinham ido buscar cadeiras ao terraço. os homens da família disponibilizaram-se para carregar o que fosse necessário.

os pombinhos tiraram duas semanas de férias para tornar a casa habitável e optaram por adiar a lua-de-mel para o Inverno. queriam neve. as mães riram: quase todos querem praias paradisíacas e vocês querem frio. por falar em carregar coisas, disse o filho, preciso de ajuda para trazer um fogão ofertado à última da hora.

Francisca ficaria em casa para receber as entregas e David ia com o pai e o sogro buscar o que estava fora da remessa. no dia seguinte, a recém-casada ligou aflita: amor! afinal havia outro (cabra, murmurou o sogro).. fogão! o filho e o compadre fulminaram-no com o olhar. encolheu-se todo e corou até às orelhas.

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: afinal havia outro.. fogão.

(continua)

07
Mai21

Desafio de escrita 3.0 - Tema 1

Ana de Deus

desafio dos pássaros - tema um

 

David e Francisca queriam viver juntos mas, sem casamento, não tinham o apoio dos pais e muito menos dos avós! mas que escandaleira! imaginem quando voltassem de férias para a aldeia o tititi com que seriam recebidos! a vergonha com que a ausência de casamento difamaria a honra da família. nem pensar! já imaginavam o chocalhar de ossos no túmulo dos antepassados. uma tragédia grega fustigaria as gerações futuras.

cansados do drama, acederam à boda. mas só com notário! estavam determinados. o lugar do pároco era apenas na lista de convidados. os pais nem tentaram negociar e os avós contentaram-se. mas o vestido tinha de ser bem cingido, avisaram as comadres, para não haver dúvida que a noiva não está grávida. Francisca revirava os olhos perante as "tradições". por cada imposição que lhes faziam os dois jovens devolviam na mesma moeda.

o vestido seria branco e cingido mas com uma racha até à coxa, para abrirem o baile com um tango. David vestiria smoking preto e branco, com uma rosa vermelha na lapela. Francisca levaria presa ao cabelo uma rosa vermelha, que segurava um véu preto, em malha larga, que ficava pelo nariz. tinham-se conhecido nas danças de salão, que adoravam, o professor dissera que tinham uma química especial, desde então eram o par um do outro.

nenhum dos dois estava interessado em provar os menús propostos pelas avós pois ambos eram vegetarianos, tal como a maioria dos seus amigos. com desapego convidaram os amigos para testarem o seu serviço de catering preferido, reservando uma das salas do restaurante só para eles. e, durante a sobremesa, disseram que aquele serão era a maneira deles os convidarem para a boda, mas que nenhum era obrigado a aceitar. a maioria disse logo que sim.

todos faziam questão de estar presentes, só para verem a aldeia boquiaberta. é verdade que vão inaugurar o baile com um tango? como sabem!? Francisca e David estavam felizes por poderem partilhar aquele dia com a sua família de afectos. na manhã seguinte, logo ao raiar do dia, ligaram às comadres para estas acrescentarem mesas para mais sessenta convidados e contratarem uma educadora de infância para cuidar das crianças.

as mães disseram que as raparigas da aldeia o podiam fazer. Francisca disse que sim, que poderiam dar apoio à educadora de infância que elas iam contratar e despediu-se. não era negociável. não podiam ser amigas suas pois seria uma maldade convidá-las para a boda para se divertirem, só que não, e ocupar-lhes o tempo com trabalho. perguntou às amigas com crianças quem é que costumavam contratar para as festas.

de seguida ligou à mãe com os contactos de duas palhaços que eram educadoras de infância que tinham encontrado um nicho em que se sentiam realizadas. mãe e filha gostaram da ideia até David dizer, em alta voz, para recusar o número de pirotecnia. a mãe riu e desligou a chamada. onde é que ouviste semelhante disparate!? Francisca indagou estupefacta. David limitou-se a encolher os ombros.

texto no âmbito do desafio dos pássaros.
DESAFIO: 
"foi o que ouvi"  com base nesta frase, desenvolve um texto onde a mesma esteja implícita, mas sem a mencionares. 

(continua)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim

foto do autor

arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

os nossos contos

Contos de Natal | 2022 Contos de Natal | 2021