Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

© busy as a bee on a rainy day

e se, de repente, o respondemos a um how are you e só nós pescámos a piada (as abelhas não voam quando chove) e vêmos que é um título fantástico para um blogue! pois.. cá estou então!

10
Abr23

o Ministério do Rocambolesco - Capítulo I

Ana a Abelha

o Ministério do Rocambolesco

o  mi.nis..rio  do  ro.cam.bo.les.co

Sir Beaver calou o despertador com um suspiro infeliz. sentou-se na cama e olhou para os pés vestidos com meias esburacadas. lembrou-se, como acontecia todas as manhãs, que tinha de cortar as unhas. novo suspiro infeliz. levantou-se e foi à  cozinha preparar o café. a profissional Lady Sparrow já lhe tinha deixado à porta o cesto com o pequeno-almoço e o The Guardian. vivia no andar de cima, era a sua secretária. todas as manhãs o porteiro comprava os jornais habituais para ambos. Sir Beaver tinha o escritório no rés-do-chão, no espaço da antiga barbearia. mas só descia quando Lady Sparrow lhe batia à porta, confirmando que ia abrir as portadas do gabinete. coincidia com a altura do duche de água fria do seu patrão. Sir era um magricela, alto. a doce Lady tinha uma cintura de vespa e um sorriso que iluminava o dia. só o porteiro tinha algum excesso de peso que se acentuava por ser baixinho. Sir Beaver herdou o imóvel e renovou-o para os três terem o seu próprio pequeno apartamento, preservando todo o charme e antiguidade do edifício. desceu as escadas de chinelos, sem meias. Lady Sparrow percebeu logo o que ele lhe ia pedir mas, antes de o deixar entrar no escritório, apressou-se a dizer: respire fundo! tem visitas, Sir. ele olhou para ela e empalideceu, o que realçou as suas sardas e o cabelo ruivo. ela só o tinha avisado antes, naquelas duas décadas de convívio, quando o meio irmão de Beaver se fizera convidado. era um homem muito desagradável, um fugitivo. o detective acenou, deu meia volta e saiu da antiga barbearia. já recorrera a este subterfúgio antes e o porteiro divertira-se por demais. o patrão ajudou-o a disfarçar-se e incumbiu-o de não deixar ninguém sair do gabinete até ele voltar. disse-lhe para se descalçar, deu-lhe os chinelos e saiu a correr pelas traseiras descalço e atrapalhado pela relva húmida e pela lama típica do outono londrino. estava tão perturbado que nem viu o carro que teve de travar a fundo para não o atropelar. felizmente era um taxi! que o levou até à esquadra. o inspector Owl, velho conhecido desde a infância, viu-o chegar e não foi preciso dizerem nada. entendiam-se sem palavras. 

(capítulo II)


texto no âmbito do desafio o Ministério do Rocambolesco

@haileyrectordesigns

TAMBÉM NESTA AVENTURA

João-Afonso Machado
José da Xã

 

OBSERVAÇÃO: O DESAFIO ESTÁ ABERTO A TODOS OS BLOGGERS.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

10 comentários

comentar post

mais sobre mim

foto do autor

arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

os nossos contos

Contos de Natal | 2022 Contos de Natal | 2021