Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

© busy as a bee on a rainy day

e se, de repente, o respondemos a um how are you e só nós pescámos a piada (as abelhas não voam quando chove) e vêmos que é um título fantástico para um blogue! pois.. cá estou então!

© busy as a bee on a rainy day

10
Nov21

Desafio Arte e Inspiração | Semana 9

Ana de Deus

e agora para algo completamente diferente..

"cabello perseguido por 2 planetas" por Joan Miró© cabello perseguido por 2 planetas  por Joan Miró, 1968
Fundació Joan Miró, Barcelona

Assinatura de Joan Miró

o menino era um prodígio. aos quatro anos descobriram que ele sabia ler, que devorava os clássicos e fazia as palavras cruzadas do avô. os pais engordavam de orgulho. aos cinco já tocava piano. aos seis pintava quadros surrealistas. o pai era médico e a mãe uma dama da aristocracia. eram uma família exemplar entre os seus pares. tudo o que o menino fazia era notícia. desde os dois anos que deixara as fraldas e usava o bacio. a rainha morria de inveja pois o seu petiz, o futuro rei, era uma criança vulgar que adorava andar a cavalo e pregar partidas à criadagem.

o menino era um solitário que tentava ensinar o avô a jogar xadrez. enquanto o príncipe fazia amigos onde quer que estivesse, prezava-os a todos e estes eram-lhe leais. um dia a rainha decidiu convidar o menino, a mãe e as suas admiradoras, a passarem uma tarde no palácio. o futuro rei era elegante e tinha a tez saudável de correr pelos campos, o menino era pálido, tinha um tom macilento e era barrigudo por beberricar um Porto com o pai, após quase todas as refeições. para agradar à mãe, ofereceu à rainha o seu quadro preferido.

a rainha mandou chamar os críticos de arte da Coroa que, fascinados, concluiram que era uma obra-prima do surrealismo, que o menino tinha intitulado de "cabello perseguido por 2 planetas". a rainha, por educação, deu ordens para o pendurarem no salão de chá onde se encontravam. o futuro rei entrou na sala e entendeu a cortesia que a mãe estava a prestar, pelo que nada disse. convidou o menino para um jogo de xadrez. este sonhava com o dia em que encontrasse um par e desfez-se em sorrisos. o príncipe, discretamente, deixou o convidado ganhar.

o menino voltou para casa feliz como nunca ninguém o tinha visto. a rainha, por seu lado, estava encantada com o filho e compreendeu que não o trocava por nenhum prodígio, pois o futuro rei era sábio à sua maneira e tinha tudo para ser um extraordinário monarca. no dia seguinte o menino saiu a correr de casa, na hora de ir para a escola, e foi directo para o palácio, para brincar com o príncipe e os seus amigos. naquele jogo de xadrez o menino aprendeu que a amizade é mais preciosa que o portentismo. estava ansioso para ser criança.

texto no âmbito do desafio arte e inspiração criado por Fátima Bento.
PARTICIPANTES:
Ana D. Ana Mestrebii yueCéliaCharneca Em FlorCristina AveiroFátima Bentoimsilva.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Ana de Deus 10.11.2021

    obrigada, querida Ana
    beijinhos e dias felizes, doce amiga
  • comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    mais sobre mim

    foto do autor

    arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D

    os nossos contos

    os nossos contos de natal Sagração do Dia