Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

busy as a bee on a rainy day

escrita ao sabor da corrente

escrita ao sabor da corrente

busy as a bee on a rainy day

06
Ago19

o que aprendi no primeiro semestre deste ano: o encantamento

Ana de Deus

quando escrevi à minha médica, em janeiro, já estávamos a fazer o desmame do ansiolítico e as dosagens estavam tão em sintonia com o meu estado de espírito que eu queria acreditar que os medicamentos estavam a mais na minha rotina. então parei com o ansiolítico de todo e com um dos anti-depressivos à bruta. resultado: parecia o speedy gonzález a falar. só por uns dias. pois aprendi a lição. e agora sou eu quem não tem pressa. já reduzimos um dos anti-depressivos e o objectivo este ano é fazer um desmame bem feito do ansiolítico. mas aquela sensação que eu tinha de que estaria bem sem medicação é agora ténue e isso deixa-me triste.

05
Ago19

escrito e sentido em janeiro: o encantamento

Ana de Deus

those who know the why for their existence
will be able to bear almost any how.

 

desde que adoeci que deixei de ter certezas. move-me a crença de que tudo tem um propósito.. na última década, houve tempos em que senti-me deveras perdida. o sentimento de que sou abençoada resgatou-me, a pouco e pouco, do desencanto.

no entanto, não tenho um 'porquê' consciente. não corro para uma meta pré-definida. não sei se estou apta a lidar com qualquer cenário. tenho fé que a Vida cuida sempre. deixei de sentir-me doente (apesar de ser uma referência temporal).

é isso que me traz hoje aqui, doutora. este ano, gostava de saber se ainda preciso desta medicação. é o passo seguinte para mim. o primeiro passo foi começar a gerir a minha alimentação de novo. agora eu canto e danço só porque sim.

sem pressa. curiosamente, desde que começámos a reduzir o ansiolítico que tenho mais sono à noite. mas ainda é prematuro, ainda tenho o corpo ensopado destes anos todos do medicamento. e eu sei que ainda estou a tomar uma dose confortável.

com a vossa supervisão, quero saber se estou apta a lidar com qualquer cenário. boa! afinal tenho uma meta para este ano! sim, é verdade, o pormenor de estar a perder peso e estar a investir em cuidados pessoais aumenta a minha auto-confiança.

(amanhã escrevo o que aprendi no primeiro semestre deste ano)

02
Ago19

o que mudou com a desordem esquisitó afectiva

Ana de Deus

em dois mil e oito, passei dos quarenta e cinco quilos para os mais de cem em três meses. passei a desconhecer o meu corpo. um dia baixei-me de cócoras, para pôr comida à gata, e cai para trás devido ao excesso de peso. mas tudo começou quando na minha cabeça eu sentia-me literalmente a partir em duas. sentia-me a enlouquecer. durante quase uma década ninguém sabia ao certo o que se passava comigo. e entretanto, dos cem, já tinha perdido trinta quilos mas houve uma médica temporária que mexeu na medicação e eu engordei novamente. só há dois anos é que a minha médica actual avançou com o prognóstico: desordem esquizoafectiva. confesso que senti-me tão leve por finalmente ter um nome para o boi. estou aqui hoje porque, há onze anos, a minha mãe me resgatou. e porque boas pessoas têm cuidado de mim. a parte mais difícil foi aceitar estar sempre medicada. ter tiques nervosos. não passar noites sozinha. estar reformada por invalidez absoluta. o que mudou na minha vida além da solidão? há dias em que não sou capaz de sair de casa. a vida acontece mais depressa do que a consigo processar. é difícil para mim discernir o que sinto, se não tiver tempo em silêncio. não quer dizer que seja reservada, quer dizer que preciso de mais tempo sozinha do que a maioria das pessoas. 

27
Jul19

vivendo com uma desordem esquizoafectiva

Ana de Deus

há onze anos que não passava uma noite sozinha. estou habituada a passar tardes sozinha. a deitar-me sem ninguém em casa, mas com a certeza que vêm de madrugada. por isso estive bem até o dia anoitecer. depois a minha mente começou a adrenar. reforcei a medicação com os comprimidos SOS e deitei-me pelas oito de noite. mas desde então que não tenho conseguido descansar de noite. fiquei descompensada, apesar de já não estar tão sozinha. comecei a acordar várias vezes durante a noite, só dormi bem uma vez esta semana. sem sonhos ou ideias absurdas. mas estou tão cansada que hoje estou grumpy e sem vontade de sair de casa. e é dia de brunch profissional. é suposto irmos à Baixa. só tive noites turbulentas quando comecei a adoecer e sentia-me desprotegida. e a semelhança assusta-me. 

mais sobre mim

foto do autor

arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D